patrocinadores Oficiais do SC Freamunde

patrocinadores Oficiais do SC Freamunde

sábado, 31 de janeiro de 2015

Apresentação da SC Freamunde Futebol SAD


Acionistas do Freamunde assumem-se como "parceiros"


Acionistas do Freamunde assumem-se como "parceiros"

Os três novos acionistas da recém-criada SAD do Freamunde assumem que a subida à I Liga é um objetivo, mas não uma obsessão.

Os acionistas da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Freamunde, apresentados nesta sexta-feira, fizeram questão de se assumir como "parceiros" e passar uma mensagem de "credibilidade, profissionalismo e trabalho", sem a obsessão da subida imediata à I Liga.
"Queremos deixar bem claro que a nossa chegada é para somar ao que de bom já existe, assumindo-nos como verdadeiros parceiros num projeto a longo prazo. Queremos fazer um trabalho sério e profissional e ter um clube cumpridor", disse Bouza Alejandro, um dos dois investidores argentinos que fazem parte da SAD freamundense.
Em conferência de imprensa, aquele acionista, antigo futebolista e há 15 anos agente de jogadores, explicou que "todas as variantes foram importantes" na decisão de investir no clube, reiterando o propósito de "não defraudar quem acreditou".
"Queremos colocar o Freamunde na I Liga a longo prazo, mas vamos fazer o possível para chegar já lá, sem receitas mágicas, com trabalho e, dando os passos certos, para que o Freamunde seja um clube com futuro. Esperamos que o nosso trabalho seja notícia", acrescentou Bouza Alejandro, falando em nome dos investidores.
A seu lado, na sala de imprensa, marcaram presença o presidente do Freamunde, Miguel Pacheco, também com assento na administração da SAD (tal como o vice-presidente Rui Neto), e os restantes acionistas, todos eles em nome individual: Nicolas Amato, igualmente argentino, e Miguel Azevedo Brandão, que será o presidente do Conselho de Administração da sociedade.

"JN"

Bilhete anual - 2ª volta

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Candidatos nas últimas 7 rondas


Apesar do Freamunde não ser candidato à subida de divisão, o jornal "Record" construiu um quadro em que coloca o nosso Freamunde nesse conjunto de equipas que têm como objectivo a subida de divisão, e olhando á classificação actual, é natural que seja precisamente inserida nesse quadro, mas não nos assumidos candidatos.

analisando o quadro, vemos que o Freamunde nas ultimas 9 rondas perdeu um pouco de "gás", estando em 6º lugar entre as 8 equipas, e com menos 8 pontos do que Tondela. De qualquer forma é importante assinalar que o Freamunde nestes 9 jogos apesar de só ter ganho duas vezes, nunca foi derrotado, e isso demonstra uma regularidade e consistência assinaláveis.

Quadro: @Record

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Atlético-Freamunde, 1-1: Empate custa liderança aos nortenhos

RAINHO AINDA EMPATOU COM EQUIPA REDUZIDA A 10

Atlético e Freamunde empataram este domingo 1-1 em Lisboa, em jogo da 24.ª jornada da 2.ª Liga, resultado que custou a liderança ao conjunto nortenho.

No Estádio da Tapadinha, os golos surgiram na segunda parte, com a equipa da casa a adiantar-se por intermédio do brasileiro Roberto, aos 60 minutos, e com o Freamunde - reduzido a dez jogadores desde os 14 minutos - a empatar com um golo de Rainho num lance com muitas culpas para o guarda-redes do Atlético, aos 77.

Com este resultado o Atlético subiu ao 18.º posto, com 27 pontos, os mesmos do Olhanense (19.º), enquanto a equipa orientada pelo técnico Filipe Rocha [na foto]o Freamunde desce para o terceiro lugar da tabela, com 42, menos ponto que os lideres Oliveirense e Tondela.

Numa primeira parte mal jogada e disputada a um ritmo muito lento, foi o Atlético quem tentou assumir o encontro, perante um Freamunde pressionado pela vitória da Oliveirense sobre o FC Porto B e que, aos 14 minutos, ficou reduzido a 10 unidades por expulsão de Dally, que viu o cartão vermelho direto após choque com o guarda-redes Igors, que o árbitro madeirense Marco Ferreira considerou agressão.

Mesmo com menos um elemento, o Freamunde podia ter inaugurado marcador aos 19 minutos, num remate de Fausto que passou perto do poste direito da baliza do Atlético, que respondeu aos 23 na melhor jogada da primeira parte, com Silas a descobrir Quinaz dentro da grande área, que num remate cruzado viu o golo ser-lhe negado por uma defesa de recurso de Marco.

Na segunda parte, o Freamunde entrou melhor e, aos 53 minutos, Pedrinho esteve perto de fazer o 1-0 de cabeça, depois de uma boa jogada de Fausto, que serviu o médio, mas o cabeceamento não levou a melhor direção.

Dez minutos depois, o Atlético respondeu e inaugurou o marcador com um golo do defesa Roberto, que, de cabeça, desviou ao primeiro poste, correspondendo da melhor maneira a um canto cobrado da esquerda por Silas, aos 63.

O Freamunde restabeleceu a igualdade aos 77 minutos num golo com muitas culpas para o guarda-redes do Atlético, que, após um livre de Rainho, batido para junto da pequena área, deixou a bola fugir-lhe entre as mãos, no último lance de perigo do encontro.

Jogo no Estádio da Tapadinha, em Lisboa

Atlético-Freamunde, 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: 1-0, Roberto, 63 minutos. 1-1, Rainho, 77.

Atlético: Igors Labuts, Leandro Albano, Gregory, Roberto, Kiki, Tiago Duque, Ibrahim (Lopez, 40), Silas, Manuel Liz (Palácios, 80), Bjorn e Quinaz (Jájá, 87).

Treinador: Lázaro Oliveira.

Freamunde: Marco, Mesquita, Rocha, Luís Pedro, Rainho, Barbosa (Jô, 66), Robson, Fausto (Huguinho, 81), Pedrinho, Ansumane (Jorginho, 75) e Dally.

Treinador: Filipe Rocha.

Árbitro: Marco Ferreira (Madeira).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Fausto (72), Leandro (75), Quinaz (78) e Lopez (94). Cartão vermelho direto para Dally (14).

Assistência: cerca de 250 espetadores.

sábado, 24 de janeiro de 2015

SC Freamunde aprova SAD



Os associados do Freamunde aprovaram, por maioria, a constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD) e a alienação de 70 por cento do capital a investidores externos ao clube da II Liga.

130 dos 134 sócios presentes na Casa da Cultura de Freamunde e habilitados a votar (tinham de ter as quotas em dia) aceitaram a constituição da Sport Clube Freamunde, Futebol SAD, que terá um capital social de 200 mil euros (o valor mínimo obrigatório para clubes da II Liga), respetivos estatutos e protocolo entre clube e SAD.

Como sócio maioritário, com 95 por cento do capital social (os restantes cinco serão para subscrição dos associados), o clube viu aprovada a alienação de 70 por cento desse capital a três investidores externos ao clube, dois argentinos e um português, por 250 mil euros. "Não era a única ou a solução ideal, mas as pessoas perceberam que, chegados aqui, este era o caminho. Não é uma solução milagrosa, mas resolve os problemas imediatos do clube", disse Mário Meireles à agência Lusa.

O presidente da Assembleia-geral do Freamunde adiantou que os investidores (Bouza Alejandro, Nicolas Amato e Miguel José Brandão, que será o presidente do Conselho de Administração) comprometeram-se a não vender as suas ações durante 10 anos, melhorando a proposta inicial de apenas dois anos. "[Os investidores] Vão assumir a equipa sénior e os juniores, assumindo o pagamento das despesas correntes daqui para a frente, o que, somadas todas as parcelas, com aluguer de utilização de instalações, manutenção de relvados, gás ou iluminação, significa mais 150 mil euros, num total de 400 mil euros", acrescentou Mário Meireles.

Foto: www.facebook.com/scfreamunde
@OJogo

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Autocarro para Tondela

Excelente iniciativa. O importante é estarmos presentes, e certamente será um grande dia para todos os que marcarem presença, em termos de convivio e satisfação por transportar pelo país as nossas cores e as nossas raizes, seja qual for o resultado.


Subida histórica reforça a marca Capital do Móvel

CLUBE PODE ALCANÇAR A ESTREIA NO 1.º ESCALÃO

Líder Miguel Pacheco tenta manter o clube viável.
 
É no meio de um turbilhão de problemas do foro financeiro que o Freamunde, presidido por Miguel Pacheco, tem conseguido manter-se na linha da frente nesta 2.ª Liga. O triunfo sobre o Trofense permitiu novo salto para o topo da tabela classificativa e não é descabido pensar numa inédita subida à 1.ªLiga.

As dificuldades agravaram-se com os cortes abruptos dos principais patrocinadores, onde à cabeça surgia a Câmara Municipal de Paços de Ferreira. A crise no mercado mobiliário acabou por ditar essas quebras nos financiamentos, mas José Ribeiro, presidente da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), acredita que, além de ser viável, teria forte impacto a presença de duas equipas do concelho no escalão maior – o município, note-se, não tem mais de 56 mil habitantes. “Se o Freamunde subir, será um contributo muito importante para a divulgação nacional da marca capital do móvel”, referiu o responsável a Record, não vendo qualquer prejuízo para nenhum dos clubes rivais. “O P. Ferreira é um clube estável e basta ver que tem receitas muito maiores que o Freamunde, porque está na 1.ª Liga, e a nível de despesa a diferença não é muito avassaladora. Por isso, penso que o Freamunde teria maior capacidade de sustentabilidade jogando na 1.ª Liga do que nesta 2.ª Liga”, acrescentou José Ribeiro.

@Record

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Comentem o problema do Freamunde não conseguir atrair publico ao estádio


Para quando uma assistência em casa superar as 1000 pessoas??!!

Mais uma vez ficamos muito aquém das expectativas....724 pessoas a ver o jogo do líder do campeonato (segundo dados da Liga - http://www.ligaportugal.pt/oou/jogo/20142015/segundaliga/22/5), e que olhando à imagem, parecem ser dados verídicos...
Ahh, e é preciso dizer que cerca de 130 -150 pessoas eram adeptos do Trofense, ou seja fomos apenas 600 pessoas a ver o líder do campeonato, numa tarde de sol!!!!

Acordem de uma vez por todas para o que esta equipa está a fazer caralho!!!
Defendam-se pelo menos!! Defenda-se quem vai e quem não vai aos jogos!! Mostrem preocupacão, caguem no assunto, mas falem, comentem, ponham pelo menos o dedo na ferida!!!


ASSISTENCIAS
543 de média esta época 
2012/2013 - 672
2011/2012 - 737
2010/2011 - 752
2009/2010 - 798
2008/2009 - 1027
2007/2008 - 1118
*fonte site da liga
Até na época de descida 2012/13 o Freamunde teve média superior. isto é grave!!

Resumo: Freamunde 3-0 Trofense


Regresso à liderança

FREAMUNDE 3-0 TROFENSE



O Freamunde recuperou este domingo a liderança da 2.ª Liga de futebol, ao receber e vencer o lanterna-vermelha Trofense por 3-0 e ao beneficiar do empate do Tondela, em jogos da 22.ª jornada.

Monteiro, aos 22 minutos, e Dally, por duas vezes, aos 45 e 85, anotaram os golos dos locais, novamente na liderança do campeonato, agora com 40 pontos.

Num encontro em que os extremos se cruzaram, o Freamunde foi sempre melhor e, mesmo sem pressionar muito, conseguiu uma das vitórias mais tranquilas do campeonato, face a um adversário que justificou em campo a sua classificação.

Dally foi um dos jogadores mais irrequietos do Freamunde e, com apenas 11 minutos de jogo, ameaçou por duas vezes o golo, que surgiria aos 22 minutos, já depois de uma das raras oportunidades do Trofense no jogo, por Adukor, através de um cabeceamento de Monteiro.

O livre foi batido por Rui Raínho na direita e a bola encontrou ao segundo poste o central freamundense, num lance que se repetiria no limite do intervalo, aos 45 minutos, mas, desta vez, foi Dally, na zona central, a bater pela segunda vez Diogo Freire.

O Freamunde baixou o ritmo na segunda parte, procurando gerir o resultado, sobretudo, perante um adversário que mostrou pouco atrevimento, à exceção de Dário, um oásis no deserto de ideias da formação da Trofa. Aos 78 minutos, Rateira ganhou espaço à entrada da área e quase marcou, mas, na insistência, Mateus Fonseca apareceu caído na área do Freamunde e Jorge Sousa assinalou a respetiva grande penalidade, por pretensa falta de Pedrinho.

Na conversão do pénalti, o mesmo Rateira permitiu a defesa a Marco. Depois de terem falhado aos 78 minutos uma grande penalidade, os locais chegaram ao terceiro golo, aos 85 minutos, novamente por Dally, com um remate rasteiro, dentro da área, à saída de Diogo Freire.

Jogo no estádio do SC Freamunde, em Freamunde.

Freamunde-Trofense, 3-0.

Ao intervalo: 2-0.

Marcador: 1-0, Monteiro, 22 minutos. 2-0, Dally, 45. 3-0, Dally, 85.

Equipas:

Freamunde: Marco Rocha, Bruno Santos (Ansumane, 07), Monteiro, Rocha, Rui Raínho, Barbosa, Robson (Lio, 76), Pedrinho, Jô, Fausto Lourenço (Tiago Leão, 87) e Dally. (Suplentes: Jorge Baptista, Amadeu, Huguinho, Lio, Tiago Leão, Ansumane e Tiago Cintra). Treinador: Filó.

Trofense: Diogo Freire, Rateira, Eduardo Henrique, Jairo, Tiago Portuga, Adukor (Tiago, 71), Nani, Bruno Simões (João Pedro, 58), André Viana (Mateus Fonseca, 46), Simãozinho e Dário. (Suplentes: Rui Santos, Miguel Ângelo, Costinha, Tiago, Babo, Mateus Fonseca e João Pedro).

Treinador: Vítor Oliveira. Árbitro: Jorge Sousa (Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ansumane (16), Diogo Freire (74) e Pedrinho (78).

Assistência: Cerca de 900 espetadores.

lusa
foto: A Bola

II Liga: 22ª jornada

Sexta-feira (9 janeiro)

Braga B-V.Guimarães B, 1-1 (22' Boly) (44' Crivellaro)

Sábado (10 janeiro)

Farense-Covilhã, 1-0 (75' Bruno Carvalho)

Santa Clara-U.Madeira, 1-2 (40' Malafaia) (69' Élio Martins; 88' Mendy) 

Domingo (11 janeiro)

11h15

Chaves-Tondela, 1-1 (40' João Vieira) (52' Tozé Marreco)

15h00

Aves-Atlético, 1-1 (33') (57' gp) Terminado

Beira Mar-Leixões, 0-0 Terminado

Freamunde-Trofense, 3-0 (20' Monteiro; 45' Gbale; 86' Gbale) Terminado

Marítimo B-Sporting B, 2-1 (22' Sacko) (28' Carlos Daniel; 39' Marcos) Terminado

Olhanense-Oliveirense, 2-1 (8' Mastriani; 68' Mastriani) (84') Terminado

Oriental-Feirense, 2-0 (4' Henrique Gomes; 55') Terminado

Portimonense-Académico de Viseu, 4-2 (11' Fabricio; 13' Fidelis; 51'; 70') (36' Tiago Gonçalves; 85' Tiago Borges)Terminado



CLASSIFICAÇÃO



domingo, 4 de janeiro de 2015

Freamunde-Beira-Mar, 0-0: Quarto empate consecutivo da equipa da casa

O Freamunde isolou-se, este domingo, provisoriamente na liderança da 2.ª Liga, ao empatar sem golos na receção ao Beira-Mar, mas poderá ser destronado por Oliveirense e Tondela no final da 21.ª jornada.

O empate serviu melhor os interesses dos aveirenses, à condição no 14.º lugar, com 26 pontos, do que os objetivos dos freamundenses, que voltaram a sentir dificuldades como visitados, agora com 37 pontos, mas uma liderança ao alcance de Oliveirense (36), que recebe o Farense, e do Tondela (35), anfitrião do Olhanense.

Como era de prever, o Freamunde foi mais dominador e assumiu as despesas do jogo, com um futebol envolvente e a toda a largura do terreno, face a um Beira-Mar na expetativa e remetido ao seu meio-campo.

O jogo curto, de pé para pé, dos locais, que somaram o quarto empate consecutivo, pecava por falta de intensidade e velocidade no último terço do terreno, facilitando a tarefa do adversário. Robson, aos 14 minutos, rematou por cima da baliza de Rui Rego, após jogada de envolvimento pela esquerda, no lance mais perigoso construído pelo Freamunde no primeiro tempo, respondendo os aveirenses por Edivândio, aos 30, com um cabeceamento por cima.

A entrada de Pedrinho, por troca com o "apagado" Lio, no início da segunda parte, deu mais velocidade ao jogo do Freamunde, que adiantou linhas e jogou mais perto da área aveirense, sem, com isso, conseguir traduzir em oportunidades ou golos o domínio do jogo. Jô, aos 49 minutos, obrigou Rui Rego a uma defesa apertada, numa das raras vezes em que os freamundenses lograram ameaçar a baliza aveirense em lances corridos.

Luís Pedro, por duas vezes de cabeça, na sequência de pontapés de cantos, também chegou a "cheirar" o golo. O Beira-Mar só de bola parada ameaçou Marco Rocha, por Diego Tavares, e na parte final do encontro, beneficiando da maior capacidade de transporte de bola do "suplente" Dieguinho, Fábio Santos cabeceou com perigo, beneficiando de uma distração defensiva do Freamunde.

Freamunde:

Marco Rocha, Bruno Santos, Monteiro, Rocha, Rui Raínho, Barbosa, Lio (Pedrinho, 46), Robson (Luís Pedro, 78), Jô, Fausto Lourenço e Ansumane (Tiago Cintra, 83).
Suplentes: Jorge Baptista, Luís Pedro, Huguinho, Djodjo, Pedrinho, Tiago Leão e Tiago Cintra.
Treinador: Filó.

Beira-Mar:

Rui Rego, André Nogueira, Diego Tavares, Fábio Santos, Vítor Vinha, Leandro Chaparro, Rafael Assis, Edú, Bacar Baldé (Patrick Edema, 90+4), Nádson (Embaló, 88) e Edivândio (Dieguinho, 69).
Suplentes: Márcio Aguiar, Miguel Campos, Patrick Edema, Dieguinho e Embaló.
Treinador: Paulo Alves.

Árbitro: Rui Rodrigues (Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Edú (80), Diego Tavares (85), Luís Pedro (89) e Bruno Santos (90+2).

Assistência: Cerca de 600 espetadores.

@Record